segunda-feira, 30 de novembro de 2015

O melhor anúncio publicitário de Natal, Natal 2015, by Edeka

Já, isoladamente, este anúncio está do Best Of.

Agora quando temos algo que nos aproxime ainda mais dele, esse Best Of é elevado ao quadrado.

A empresa criadora do mesmo, é alemã. Uma cadeia de supermercados alemã, onde, por coincidências da vida, já fiz algumas compras.
Não dá, por motivos nenhuns, para deixar passar ao lado...

E agora o vídeo, lindo.


Fontes:
Texto : SandraPereira
Video : youtube

terça-feira, 24 de novembro de 2015

A propósito dos atentados terroristas

O Luxemburgo é uma cidade tão pequenina, que qualquer atentado que aqui se fizesse, não teria o mesmo impacto que em Paris. Mas isso é a nível "exterior", porque impacto sempre teria. Principalmente em Portugal dado a elevada classe emigrante que por cá estamos, e nos países vizinhos e fronteiriços. Seguramente que estes iriam sentir muito daquilo que meio Mundo sentiu em relação aos atentados em Paris deste triste e fatídico 13 de Novembro.
Contudo, seja como for, ainda assim, elas, as ameaças palpáveis chegaram cá. E tiveram que ser sérias, para se ter procedido a vários desalojamentos de vários edifícios estranhos entre si.
Uns no Sul do país e outros bem no centro do coração da cidade. 3, foi o número de ameaças até agora. Um deles coincidente na data e local de onde me encontrava com toda a família a desfrutar de um almoço de aniversário do meu mais que tudo!!! Por sorte não me enteirei de  nada no momento e tampouco a ameaça foi levada até ao seu mais extremo.
O certo é que este cenário que se vive, de medo , não é nada agradável e menos ainda para quem tem filhos e uma família que ama mais que tudo.

Contudo, não podemos ceder ao medo e há que viver a nossa vida tal qual o faríamos antes destes atentados acontecerem. Mesmo não sendo fácil.

3 dias após os atentados em Paris, fui a França,  eu e o meu mais que tudo. Mas, apesar de sentir uma certa paz e confiança, chegada a hora de ir, juro que ainda pensei, não um par de vezes, mas sim muitas vezes, se ir ou não ir. Cá está o factor "amor insano". Se se tratasse apenas de mim, não teria decidido e cancelado tantas vezes como o fiz. Mas, como se tratava de levar comigo a pessoa mais importante da minha vida,  o meu filho,  aí já o poder da indecisão pôde comigo. Muito.

Mas fui.
E não tive medo.
Mas confesso que fui muito desconfiada.
Onde encontrei um pouco de paz extra, apesar do cenário não ser o que melhor transmite paz, foi no control feito pela polícia na zona fronteiriça.



E como que, para dar mais ênfase a esta terrível situação que todos vivemos, terminei a viagem passando [involuntariamente ]em frente da embaixada da França aqui no Luxemburgo, sendo este o cenário com que me encontrei. Coerente.



E é assim que vivemos nestes dias que correm...Cabe a Deus decidir o nosso futuro.


Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira

Restaurante em Flash : Chez Rafael, Luxemburgo

E o restaurante de hoje é:

Chez Rafael  (clicar para ser redireccionado para a página oficial)

Tipo/Especialidade do restaurante: Comida espanhola
Ambiente: Calmo, agradável, arejado, muita luz
Serviço: 4☆☆☆☆
Decoração: Simples e descoordenado com alguns apontamentos típicos de Espanha
Comida: 3,5☆☆☆♢ -  [Valor atribuído às tapas]
Preço:35-40€/pax se for prato. Caso sejam as famosas tapas, é uma média de 20€/pax




Lembrete da origem deste post😊
""É um facto que  adoro comer. E se puder ser num bom restaurante, melhor.
E é que aqui, neste país de ar medieval, nem tudo é mau. Tem, ao contrário,  muitas coisas maravilhosas.
E uma delas são os restaurantes. Boa comida na mesa.
Poderia simplesmente chegar aqui e colocar uma extensa e longa lista de óptimos restaurantes luxemburgueses. Deixem-me corrigir: restaurantes afiliados no Luxemburgo.
Sim, porque o marido já fez um roteiro, não completo, mas muito extenso e variado. Mas não. Primeiro porque não seria a minha lista. E depois porque não seria a mesma coisa. Refiro-me à opinião crítica.  A minha opinião.  O que o marido gosta eu posso não aprovar....

E restaurantes afiliados no Luxemburgo porquê?
Porque salvo excepção, que os há, todos os que frequentei até ao momento e de todos os que ouço falar maravilhas são de várias nacionalidades, mas poucos ou nenhuns Luxemburgueses .""

Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira 

A árvore do "nosso" jardim


Uma foto mensal ao mesmo cenário, durante um ano.
Este foi um dos desafios a que me propus há exactamente 1 ano atrás.  Foi num desses muitos dias que saio, diariamente, à rua, aqui mesmo ao lado de casa, que me lembrei de tal coisa.
Pensei: Adoro esta árvore. Tão tudo. Românticamente tudo. Sombra, protecção, esconderijo, confidente... Muitas vezes me sento lá no banquinho desfrutando de mil e uma coisas...e outras vezes vejo alguém lá sentado vivendo mil e uma coisas, enquanto que ela, a árvore,  absorve e guarda a sete chaves os segredos lá desabafados,  as conversas ao telefone, os beijos dos amantes apaixonados, as confidências dos adolescentes....
É, no fundo, a "nossa" árvore. O "nosso" jardim.
Passando os olhos pelas fotos, sem quaisquer filtros, bem se vê a força da natureza, dando bem para apreciar as quatro estações do ano em vigor.


18 NOVEMBRO 2014

29 DEZEMBRO 2014

20 JANEIRO 2015

18 FEVEREIRO 2015

20 MARÇO 2015

20 ABRIL 2015

20 MAIO 2015

25 JUNHO 2015

16 JULHO 2015

19 AGOSTO 2015

23 SETEMBRO 2015


19 OUTUBRO 2015

23 NOVEMBRO 2015


Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Prenúncio de frio....

Este não tem sido um mês difícil. Tem, até, sido bastante agradável de levar. É verdade que têm reinado os dias cinzentos. Mas eu não disse que não têm havido dias com Sol. Têm  havido sim. Nada que se compare com esse Verão de S. Martinho que se viveu em Portugal estes dias passados. Mas ele de vez em quando aparece e nós ficamos muito agradecidos. É ver-me agasalhar minimamente, porque lá que haja sol, não quer dizer que esteja de se sair com os braços ao léu, e saímos de casa em fila indiana para desfrutar dos maravilhosos raios de sol no rosto. Tão bom.

Mas o que é  certo, é que esse frio que anunciam nas cadeias televisivas e afins, esse chegou. Esta noite que passou, creio ter sido das mais frias deste Outono de 2015.
Não sei ao certo quantos graus fizeram pelo auge da madrugada, mas foram os suficientes (negativos) para de manhã se acordar com tudo branquinho. De gelo, é claro. Que a neve eles, os do tempo, têm  anunciado, mas essa ainda não chegou....



E como podem comprovar na foto, embora exigisse um pouco mais de agasalho, hoje foi um desses dias bons de Sol.  Pelo menos durante toda a manhã e uma boa parte da tarde...

Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira

sábado, 14 de novembro de 2015

Imagine, Pray for Paris❤

Não encontro uma descrição melhor do que sinto, do que esta. Tudo seria mais simples, mais bonito e em paz.

❤ Pray for Paris ❤


"...

Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace

...."

Fontes : 
Texto : SandraPereira 
Video: youtube 

Quanto custa um casamento?

"Quem paga é quem manda".
Salvo aquele tio bonacheirão que te adora desde crianca e é capaz de tudo por ti, ou aquela prima afastada que não sabe o que fazer ao dinheiro e te mandou um telegrama: [faz que quiseres mando-te cheque], ou aquele pai babado capaz de tudo {sem querer nada em troca} pela tua felicidade, salvo estas excepções, o melhor mesmo é serem vocês noivos a custear tudo.

Há e tal esta está louca!  E soltam uma gargalhada em jeito de gozo, de mim.  Da minha pessoa.

Não.  Não o façam.

Se estiverem dispostos a passar pelo "quem paga é quem manda", mesmo que achem que isso não vai acontecer (acreditem, há sempre um ponto da viagem que quem paga é quem manda, mesmo) então podem parar a leitura por aqui.

Caso contrário o que vem a seguir interessa-vos.

Não tenham medo. Podem vacilar, mas não se parem no caminho. Sigam em frente.

Um casamento nos dias de hoje, e na maioria dos casos (falo do que conheço ) paga-se sozinho.

Claro. Tenham cabecinha e não se exaltem e exagerem nos apetrechos. Também ninguém precisa de ficar só pelas entradas.

Depende muito do tipo de festa que decidirem fazer, mas fazer uma festa com todos os detalhes mínimos e com um bom catering assegurado, é possível,  e é "autopagável"

Por norma os convidados sabem o que é ser noivos ou então sabem que em breve serão eles os próximos e sabem o que isso acarreta. Por norma também conhecem os noivos bem, bem como o local e catering da festa e quanto é que este poderá custar minimamente. E é esse minimamente com o que vocês noivos podem contar como prenda de casamento. Nos casos bons. Tendo em conta que a crise ainda anda por aqui a rondar. Nos melhores casos, é esse minimamente mais uma percentagem assegurada.

Mas meus queridos.
Nem tudo é tão cor-de-rosa assim.
Preparem-se para sentir um pouco de vergonha por alguns convidados. E quase sempre daqueles que não se justifica essa atitude.  Sim! Há sempre pelo menos 1 envelope em branco. Ou dois. Ou três! !! Será que esses convidados não se enxergam? São vários os relatos desses "cromos".

Mas não se preocupem. A festa ainda assim paga-se sozinha. O que é triste mas orgulhoso tambem, é ver que há um convidado ou outro mais humilde a fazer melhor figura que esses "novos ricos falidos" 😜)

Num muitíssimo bom casamento, vocês noivos não precisam de se preocupar com absolutamente nada. Alguém vos pagará tudo. Maravilha. Assunto encerrado. E ainda fazem um belo mealheiro para usarem como melhor vos apetecer.

Num muito bom casamento "autopaga-se" tudo. A festa, o catering, decoração, fotógrafo, lua-de-mel, fato e vestido de noiva.... e ainda pode sobrar gorjeta.

Num bom casamento "autopaga-se" quase tudo. Se calhar aqui é melhor pensar 2 vezes e talvez aceitar ajuda de alguém que se propôs a isso.

Num mau casamento,  o melhor é mesmo ficarem pelo mínimo indispensável porque meus queridos, se tiverem que recorrer à banca, que seja por motivos de verdadeira necessidade e não para ficarem bonitos na fotografia exterior.

Esta é até,  uma das dicas dadas, por quem entende muito do tema ( revistas de casamento e wedding planners ( organizadoras de casamento) ): JAMAIS RECORRER A UM EMPRÉSTIMO BANCÁRIO PARA CUSTEAR UM CASAMENTO.

O assunto é sério.
É um dia único e todos os noivos queremos que seja totalmente perfeito. {Habituem-se desde já novinhas,  que há SEMPRE um ou outro pormenor que se nos escapa por entre os dedos, mas por norma,  só nós é que sabemos☺☺)

Mas afinal quanto custa um casamento?
Não vos tenho um valor concreto a dar, porque cada caso é um caso.
Mas podem fazer um balanço previsional do assunto. Para isso basta colocarem 2 colunas. Uma com a descrição e outra com o valor aproximado/previsível. Depois é só somar. Sim, Somar. Raramente é a dividir ou a subtrair.

Contudo, apesar de CADA CASO É UM CASO, deixo-vos esta imagem que roubei da net, devidamente identificada -by, casamentoclick- para que se possam orientar e fazer as vossas continhas ajustadas à vossa realidade.

P.S. Espero que possam dividir ou subtrair algo sem terem que abdicar de nada desse dia maravilhoso.

Boas contas.



Fontes:
Texto : SandraPereira
Foto : Google images by casamentoclick -revista web de casamentos.

sábado, 7 de novembro de 2015

Restaurante em Flash: Bistró Podenco, Luxembourg

E o restaurante de hoje é:

Bistró Podenco  (clicar para ser redireccionado para a página oficial)

Tipo/Especialidade do restaurante: Comida espanhola, tapas
Ambiente: Calmo mas lembrando muito Espanha
Serviço: 4☆☆☆☆
Decoração: Antiga, simples, desactualizada mas a tipica espanhola(com o presunto pendurado☺)
Comida: 3,5☆☆☆♢
Preço: 25€paxPreço

Desta vez não tive tempo de tirar foto aos pratos, tal era a fome, mas comemos igual. Tapas: tortilha española,  patatas bravas, croquetas de Jamón  (divinas) e secreto de cerdo ibérico .

Lembrete da origem deste post😊
""É um facto que  adoro comer. E se puder ser num bom restaurante, melhor.
E é que aqui, neste país de ar medieval, nem tudo é mau. Tem, ao contrário,  muitas coisas maravilhosas.
E uma delas são os restaurantes. Boa comida na mesa.
Poderia simplesmente chegar aqui e colocar uma extensa e longa lista de óptimos restaurantes luxemburgueses. Deixem-me corrigir: restaurantes afiliados no Luxemburgo.
Sim, porque o marido já fez um roteiro, não completo, mas muito extenso e variado. Mas não. Primeiro porque não seria a minha lista. E depois porque não seria a mesma coisa. Refiro-me à opinião crítica.  A minha opinião.  O que o marido gosta eu posso não aprovar....

E restaurantes afiliados no Luxemburgo porquê?
Porque salvo excepção, que os há, todos os que frequentei até ao momento e de todos os que ouço falar maravilhas são de várias nacionalidades, mas poucos ou nenhuns Luxemburgueses .""

Fontes : 
Texto e Fotos : Sandra Pereira 

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Sim, Gosto disto☺

O bonito da vida é mesmo isso: não saber o que vai acontecer!

Por natureza eu sou assim. Gosto de estar onde não estou. Gosto de estar onde vou estando. Gosto de estar onde estive.
Madrid foi fantástico e isso nota-se nas saudades que de lá sinto.
Luxemburgo está a ser bonito e isso eu sei porque depois de uma fase dura de adaptação o Sol brilha aqui, mesmo por cima do cinzento habitual a que este país nos habituou. A mim.  À minha família.




Ainda antes do Verão e quase na mesma altura, por coincidência, conversava com algumas amigas, desconhecidas entre si, sobre a minha estadia neste país onde o Sol teima em brilhar pouco. A todas transmiti o mesmo sentimento. Aquele que já sentia na altura e que continuo a sentir agora,  sem que isso interfira com a minha vontade de mudar e conhecer um novo país ☺.

Gosto de estar aqui. Sinto-me bem. Sinto-me muito bem. Quase em casa. E digo quase, porque essa porção que falta só será conquistada quando viver finalmente no sítio que quero.


Não sei se algum outro país, incluso no sítio dos meus sonhos, em casa, me poderá oferecer aquilo que tenho aqui. Por isso desfruto todos os dias desta calma, deste bem-estar, desta segurança, e desta PAZ que este país me oferece.
E o contacto directo com a Natureza pura, que o Luxemburgo me concede, esse também não tem preço.


No início foi duro. Muitíssimo duro. Noutra situação não me teria custado nem 1 parte do que custou. Sei que se não viesse num estado de gravidez avançado como vim, para um país como este, não teria sofrido e nem me teria custado tanto como custou. (Mas tudo por um filho. Não mudaria nada e voltava a vir nas mesmas circunstâncias.... ou não! Talvez fizesse algumas coisas diferentes. ...) Seja como for, essa fase já passou e neste momento somos muito felizes aqui. E arrisco-me a dizer que de todos é a nossa mascote, a nossa Golden Nara , quem mais ama viver aqui! Sim. Até nela noto uma felicidade que não via em Madrid. Sem falar nas melhores condições de vida que ela tem aqui a nível de saúde  ( este clima mais fresco e mais húmido é o melhor para ela, em oposto com aquele clima quente e abafado até mais não da cidade maravilhosa de Madrid.)



Como dizia atrás e como disse às minhas amigas,  sinto-me muito bem aqui. Não há nada que pague a segurança  com que me passeio pelas ruas calmas da cidade onde vivo, sozinha com o meu bebé e a minha Nara. E até de noite. Esporadicamente sou eu quem leva a Nara à rua na sua última saída do dia, a qual às vezes coincide com um horário muito tardio, não sendo isso motivo para me sentir insegura ou com medo de a levar até aos adentramentos do bosque mesmo aqui ao lado, ou levá-la num passeio mais longo ao longo da estrada....



E mesmo na zona mais chunga  (desculpem-me a palavra, os mais sensíveis)  da cidade de Luxemburgo, que digo ser a zona da Gare e alguns arredores, nem mesmo aí sinto medo. Claro que falo durante o dia. Porque à noite, também para lá nunca fui. Mas já fui algumas vezes ao longo do dia, e apesar de ser uma zona com muito comércio e bastante movimentada,  é também,  talvez por isso ou pela proximidade à estação central, uma zona frequentada por algumas pessoas menos "civilizadas". O certo é que isso não me assusta.  Já em Madrid, não teria tanta coragem!

Photo Luxemburgo de noite. Crédito: Serge Michels

O que mais gosto aqui:
☆ Da Paz que se sente e que se vive
☆ Da Segurança que se sente a todos os níveis  (saúde, vida pessoal, integridade física... )
☆ Do clima. Gosto muito de calor, mas tudo o que é exagerado incomoda-me. E por isso este clima mais ameno assenta-me mesmo bem. Nem tanto ao mar nem tanto à terra.
☆ Da reduzida possibilidade de encontrar casualmente na rua pessoas conhecidas e ou até indesejadas ( gosto muito de socializar, mas gosto mais ainda desta despreocupação de andar onde quero, como quero, quando quero e quanto quero sem ter de perder tempo com ninguém e menos ainda com quem não gosto só por uma questão de  boa educação ). Não ter que dar satisfação a ninguém da minha vida é ÓPTIMO ☺Claro que os amigos me fazem falta, mas viver num sítio onde ninguém me conhece,  tem as suas vantagens. ..


O que menos gosto aqui:
☆ Do racismo sentido e vivido, principalmente demonstrado por pessoas mais velhas e sem alguma abertura e civismo moral
☆ Da pouca presença do Sol. Apesar de gostar deste clima mais ameno/moderado, sinto falta de mais quantidade de dias de Sol.

Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...