quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Papas de Arroz ou Nestum de Arroz, by bimby, ou não


Nesta era do fit e do healty e do saudável e do melhor… a procura por uma alimentação saudável é incansável. Qualquer nova dica, notícia, truque serve de desculpa para partir em busca de novas receitas saudáveis. Mais ainda quando se tem bebés ou crianças pequenas em casa e se quer começar desde cedo nesta saga de “comer bem, comer saudável, desde pequeninos”.

Como já referi num outro post, aqui no Luxemburgo a oferta de papas para bebes é escassa e na sua maioria pouco saudável sendo toda ela carregada do grande inimigo do século: o açúcar.
Contudo, para quem tem uma bimby, |thermomix na maioria dos casos| a tarefa é bastante simplificada. 
Por isso hoje venho falar das papas de arroz. Nestum de arroz, se preferirem. Sei que em Portugal está muito de moda, e, sem contudo ter ainda acesso à tabela nutricional da mesma, para conferir por mim própria os tais benefícios desta maravilha, decidi aderir aos benefícios desta papa maravilhosa para toda a família. Miúdos e graúdos.

Mas como dizia eu, nada melhor que produzir o próprio Nestum em casa, com a certeza de 0 gorduras, açúcares e outros que tais adicionados.

RECEITA

INGREDIENTES:
200grs arroz (mínimo, pode utilizar mais) de preferência basmati

PREPARAÇÃO:
  1. Colocar o arroz no copo e pulverizar 1min/vel 10
  2. Secar: 20min/ 120º/vel 2.
  3. Retirar, deixar arrefecer e guardar num recipiente com tampa hermética.

COMO UTILIZAR:
  1. Colocar 200grs de leite, leite adaptado para a criança, água ou bebida vegetal a gosto no copo.
  2. Juntar 15grs de farinha de arroz
  3. Cozer 8min/90º / vel 2,5
  4. Desfrutar.

Para quem não tem bimby, mas tem a farinha basta juntar num tacho e cozinhar até obter a papa desejada.

Delícia.
Pode comer assim, ou juntar fruta ou outros toppings a gosto.

Das últimas papas juntei kiwi e canela. 




Fontes:
Texto & Fotos: Sandra Pereira

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Bolachas de aveia e fruta para bebés. ..e papás tambem☺

À procura de soluções mais saudáveis e diferentes [ o mercado do bebé não é muito extenso,  pelo menos aqui no Luxemburgo ] parti em busca de receitas saudáveis de bolachas para bebé na net. E encontrei muitas. Umas  bem mais saudáveis do que outras, mas todas elas sempre uma melhor aposta daquelas que se vendem no mercado.
Da maioria das receitas que encontrei havia quase sempre dois ingredientes comuns em todas elas: aveia e fruta.  E estes são, até,  os únicos ingredientes a utilizar numa receita de bolachas realmente saudável.

Daí que a partir de uma receita chave, criei eu as minhas próprias receitas de bolachinhas saudáveis para os meus mais que tudo.

Alguns tópicos importantes e por isso saudável :
☆ Nada de açúcar (acrescentado).  ZERO. (excepto o açúcar natural da fruta e aveia)
☆ Fruta. Muita e variada
☆ Nada de ovos nem farinhas industrializadas.
☆ Flocos de aveia = triturados em farinha - bem mais saudável e com menos calorias e aditivos e conservantes.....
☆ Nada de gorduras ( Manteigas,  óleos,  azeite....)

Receitas:
Sempre na base destes dois ingredientes: fruta e aveia. Poderá ser junto um pouco de água , mas até ao momento ainda não usei. ..

Preparação:
☆ Reduzir os flocos de aveia em farinha ou usar os próprios flocos
☆ Juntar a fruta natural ou cozida
☆ Envolver bem
☆ Fazer pequenas bolachinhas
☆ Levar a cozer ao forno até que fiquem douradas ( +/- 15/20minutos)
☆ Pode juntar toppings a gosto: cacau, frutos secos, sementes...

Eu faço na bimby.
☆Trituro a fruta, (por exemplo 2 bananas) 15segundos vel 4
☆Junto a aveia( 150grs ) e envolvo 10segundos vel 4






E voilá.
Diversificação alimentar.
Mais saudável impossível.




PS . Os meus babys  A D O R A M

P.S.S. Não dão muito trabalho e nem precisam de muito tempo de preparação.

P.S.S.S. Para muitas de vós, poderá ser também um bom investimento a nível de custo/poupança  dado que estas bolachas são super Hiper Mega baratas☺
☆ 100grs aveia (eu uso da marca Quaker ) - 0.55€
☆ 1 banana - 0.19€
☆ 1 maçã - 0.18€

☆TOTAL: 0.93€

Preço médio de um pacote de bolachas para bebé no mercado: 2.00€

O melhor de tudo é mesmo a certeza de serem saudáveis sem conservantes, corantes e sabe-se lá mais o quê.

Fontes :
Texto e Fotos : Mamy BabyG

sábado, 11 de novembro de 2017

Elevador Panorâmico do Luxemburgo

Num bonito dia de Sol, a vista é, não soberba, mas sim algo bastante apreciável.
Num dia cinzento e nevado imagino que seja brutal. Imagino apenas, porque ainda não tive oportunidade de apreciar uma vista assim, embora este elevador tenha sido inaugurado em Julho de 2016.

À parte de uma atracção turística, este elevador é de grande utilidade para os moradores locais. É sem dúvida uma forma fácil e rápida dos mesmos de deslocarem da parte baixa para a parte alta da cidade de Luxemburgo. É acima de tudo um método fantástico para quem usa bicicletas, carrinhos de bebés, ou sofra de alguma deficiência móvel.
Tem uma altura de 60mts, sendo que o trajecto de descida/subida se realiza em apenas 30 segundos. Mais rápido é difícil.

E deslocar-se da parte baixa para a alta, porquê? Porque, para quem não conhece Luxemburgo, esta é uma cidade bastante pitoresca, sendo que entre montes e pequenas montanhas, é onde ela está “instalada” . Claro que existem outros acessos, que ligam ambas as partes da cidade, porém no local onde foi construído, o acesso ao centro da vila nova, não poderia ser melhor e mais centralizado. A um passinho de transportes públicos, ou para quem prefere ir andando, a menos de 500mts da área de comércio local. Fantástico.

Mas e a vista? Se vierem por cá, já sabem.

Contudo, o ponto alto, para mim, é mesmo o solo em vidro. Não aconselhado a quem sofre de vertigens, embora sejam só uns míseros 60mts de altura.





Fontes:
Texto: Sandra Pereira
Fotos: Pinterest

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Decoração Infantil #1

Cantinhos e pormenores deliciosos nos quartos dos mais pequeninos da casa.
Ideias simples e delicadas capazes de se conseguirem com pouco esforço e até bastantes económicas algumas delas. Não dá para resistir.











Fontes:
Texto: Sandra Pereira
Fotos: Pinterest

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Quando não se respeitam os valores da “nova família”


#1 “quem casa quer casa”

Por algo será que as famílias não vivem todas juntas num mesmo palacete. Quantos seriam dentro dele? Quantos feitios diferentes chocariam entre si no dia-a-dia? Quem cozinharia amanhã? Quem resistiria a este modelo de vida?

Há uns(largos) anos ouvi alguém dizer algo do género (na altura não percebi muito bem):

# 2 “agora constitui família mais a minha Maria (nome fictício). Juntos vamos aumentá-la e ter a nossa família… esta será agora a minha família”.

Lá está. “Quem casa quer casa”. É certo que lá porque nos casamos e damos início à Nossa família, não é por isso que vamos rejeitar a família biológica. Não é por isso que deixamos de ter pais, tios, primos, irmãos, avós…não.

MAS, se as pessoas se casam e mudam de casa,
·         não será porque querem, mais que o seu espaço e a sua privacidade como casal, a liberdade de poder viver as suas vidas do jeito e da maneira que bem lhes apetecer?
·         não será a elas que lhes compete decidir e redirecionar a sua vida do jeito que mais lhes convém?
·         não será a eles que compete decidir quem pode e quem não, quando e porquê fazer parte de todos, de alguns, ou de nenhum momento das suas vidas?

E o que acontece quando os valores em que a nova família acredita são violados?
E o que acontece se são infringidos por quem menos esperamos? Onde fica o carinho e a confiança no meio deste desastre emocional?

Porque fulano não vive sem a família toda atrás, e se resiste, até, em sair da casa dos pais, no auge dos seus 40 anos, não significa que beltrano tenha os mesmos ideais.

Ou

Porque beltrano não tome nenhuma decisão na vida sem a presença/opinião/decisão da família biológica, não quer dizer que fulano aja da mesma maneira.

Nenhuma pessoa é igual a nenhuma outra. Nenhuma.
Nenhum filho é igual a nenhum outro. Nenhum.
E nenhum casal é igual a nenhum outro. Nenhum.
Cada qual e cada um, sabe qual o melhor caminho a escolher na sua vida, da forma que for, com quem for, como for. E aqui, já seja de que jeito for, aos outros, se querem continuar a viver felizes para sempre, resta apenas Respeitar e Aceitar.
1.       Aceitar que nem todos gostam de viver debaixo da asa do pai/mãe, e que há os que adoram voar sem teias de aranha a incomodar o caminho.
2.       E que existem também, aqueles para quem a liberdade e independência, são mais que uma forma de expressão: são um modo natural de viver.
3.       Assim como há que aceitar: Que existem aqueles que precisam dos pais para tudo e mais alguma coisa.
Afinal o que é que está certo e está errado?
Afinal, qual é a forma correta de viver? De fazer as coisas?
Não existe.

Existe apenas uma coisa, para quem deseja continuar a fazer parte: Respeitar e Aceitar. Não basta respeitar se depois faz o que bem lhe apetecer. E não basta aceitar se depois continua a não respeitar as decisões alheias. Então tem que ser um mútuo "acordo", para que ninguém saia lesado.

Fontes:
Texto: Sandra Pereira
Foto: Google Images

sábado, 1 de julho de 2017

Lista de Enxoval de bebé

Esta é uma lista baseada no depoimento de outras mamys amigas, sendo que a maioria das coisas está pensada para os primeiros 15 - 30 dias do bebé, não excluindo por isso a compra de produtos para idades superiores. No entanto também são apresentados produtos, como por exemplo os da  lista do banho e passeio os quais têm um período de vida superior ao do primeiro mês do bebé.

Sendo assim não deixa de ser uma mera sugestão/guia à qual se adaptará a realidade e necessidade de cada caso particular.











  • 07 - Babetes                                             
  • 07 - Bodys manga curta 
  • 07 - Bodys manga comprida 
  • 03 - Casaquinhos de linho ou lã 
  • 03 - Fraldões 
  • 07 - Calcinha (com ou sem pé) interior 
  • 03 - Fraldas de algodão 
  • 03 - Mantas 
  • 07 - Macacões/Pijamas 
  • 03 - Luvinhas 
  • 07 - Meinhas 
  • 03 - Toucas de Algodão
  • 01 - Saída da Maternidade 










  • 01 - Almofada para amamentar
  • 01 - Almofada para barriga
  • 02 - Discos Protetores para seios
  • 01 - Tira-leite
PARA A MATERNIDADE
  • 02 - Sutiã de Amamentação
  • 06 - Cuecas Descartáveis e também algumas de algodão
  • 03 - Camisas de dormir (de preferência com botões para facilitar a amamentação)
  • 01 - Robe
  • 02 - Toalhas de banho
  • 01 - Cinta
  • 01 - Chinelos de Quarto
  • Produtos higiene (Champú, gel de banho, desodorizante, cremes...)
  • Pensinhos Higiénicos
  • Roupa para saída da maternidade










04 - Tetinas para biberão
01 - Escova para biberão
01 - Esterilizador de Biberão
03 - Biberões grandes
02 - Biberões médios
01 - Biberão pequeno
Importante ter biberão anti-cólicas
02 - Chupetas de acordo com a idade do bebé
01 - Mordedor
01 - Pinça Higiênica
01 - Aspirador nasal
02 - Prendedores de chupeta
01 - Termômetro clínico
01 - Humidificador
01 - Sling
01 - Conta gotas
01 - Câmara/Vídeo Electrónico










01 - Banheira
01 - Esponja de banho natural
01 - Suporte/Móvel para colocar banheira
01 - Termômetro para banho
03 - Toalhas com capuz
01 - Trocador de Fraldas
06 - Pacotes de algodão/ Gases
01 - Massageador de gengiva
01 - Conjunto para manicure
01 - Escova para cabelo
01 - Saboneteira
02 - Pacotes de soro fisiológico (Para limpar os olhinhos e desentupir nariz)
Produtos de Higiene para Bebé Uriage (marca recomendada pelas mamys amigas)

  • Gel de banho
  • Creme para o rabinho
  • Água Thermal (para limpar cheiro de quando o bebé bolsa)
  • Outros considerados necessários
Fraldas Muitas ☺☺ - de acordo com o tamanho do bebé
Toalhitas
Colimil (medicamento natural)- para cólicas do bebé, embora existam outras marcas no mercado, e seja sempre melhor pedir conselho ao pediatra do bebé










01 - Carrinho de passeio ( Ovo, Alcofa, e carrinho)
02 - Capas para carrinho
01 - Encosto para cabeça
03 - Jogos de lençol para alcofa
01 - Mala grande
01 - Mantinha










01 - Cesto para roupas
02 - Cobertores de berço
02 - Mantas
03 - Fronhas
04 - Jogos de lençol para berço
02 - Kits de fralda
02 - Kits para berço
01 - Móbil- Brinquedinho que se coloca em cima do berço do bebé
01 - Cortina
01 - Posicionador para dormir
01 - Protetor de colchão e berço
01 - Saia de berço
02 - Travesseiros anti-sufocantes
02 - Travesseiros anti-refluxo
01 - Berço
01 - Roupeiro
01 - Cadeira ou sofá para a mamã
01 - Balde para o lixo
01 - Tapete
......

Este texto foi escrito para um meu outro blog (privado), por mim, ainda antes de ser mamã. Como disse acima isto é uma lista geral, após o contacto com as minhas amigas já mamãs na altura, o que significa que presentemente e em cada caso particular podem existir coisas nesta lista não necessárias a cada situação particular. O que é válido para umas pode não o ser para outras. É a realidade.
Avaliem muito bem, o vosso caso antes de comprarem loucamente. Garanto que muitas coisas vão ficar intactas.

Boas compras happy mamys.

Fontes:
Texto: Mamy BabyG by Sandra Pereira com apoio das amigas já mamãs
Fotos: Google Images

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Ordem certa das coisas | da minha vida |


A cada dia que passa, tenho sempre mais e mais a certeza (absoluta) desta ordem certa da minha vida. Eles. Primeiro eles. Amor. Dedicar-me a eles como se não houvesse amanhã.  Não há nada mais precioso que eles. Estar com eles. Desfrutar deles. Vê-los crescer.

Não há trabalho nenhum, nem nenhum mísero (ou talvez nem tanto (pelo menos aqui no Luxemburgo)) salário, que fale mais alto que a sorte de ser mãe. A tempo inteiro. Nenhum dinheiro do mundo vale mais que isto. Nenhum. Nenhum trabalho e nenhum dinheiro do mundo me faz sentir melhor, do que este. É tudo o que necessito para me sentir realizada. Cheia de auto-estima. Nenhum trabalho me faz sentir melhor, ou mais inserida na sociedade, ou apenas mais útil, que saber que estou aqui. No caminho certo. O do amor.

Não preciso que nenhuma empresa e nenhum salário me deem isso. Tudo o que preciso é saber que os meus filhos estão bem. Que são crianças felizes. Quero que eles sintam em mim o pilar mãe, e não no próximo. Terão anos de mais, para viverem “fora de mim”. São muitos os dias que se avizinham, em que irão passar muito tempo fora, em que não poderei olhar para eles, em que não lhes poderei dar um abraço sempre que apeteça. Onde o colo deixará de existir.

E porque a vida é um fósforo eu tenho mais que aproveitar é agora. Enquanto o posso ser, enquanto que as regras da sociedade o permitem. Já chegará o tempo que passarão mais tempo fora que dentro.

O que mais pena me dá, é que para eu estar tão presente, o pai não o possa estar.

Lá está. As regras da sociedade. São elas que ditam a nossa vida.
Porém adoro esta sensação de poder contrariar. Porque sei que há mães e pais que gostariam e não podem. E percebo a dor que sentem de não poder estar com os filhos…principalmente nestes primeiros anos das suas vidas.
Porque o amor, o carinho, a auto-estima, estes são primordiais agora. Nos primeiros anos da vida do bebé / criança. Sou totalmente apologista da ideia dos pais sempre que podem, ficarem com os filhos. Porque estes momentos nunca mais virão. E porque como se ouve muito por aí dizer, as crianças não sabem o que é o dinheiro. Não ligam a bens materiais. Eles querem colo. Gargalhadas. Correr atrás dos pais. Jogar à bola ou aos médicos. Jogar ao esconde-esconde. As crianças querem a PRESENÇA dos pais. Não a de um educador, e a de uns amiguinhos que lhes foram impingidos em tenra idade, só porque os pais têm que trabalhar, para se sentirem pessoas (salvo aqueles que têm mesmo necessidade de o fazer, é até para esses casos que existem os infantários). Sim é uma crítica. Mas claro. Cada um sabe de si…

E eu estou aqui é para dizer, que sim, que tenho mesmo a felicidade de saber que esta é a ordem certa da minha vida. O amor. Os meus filhos. Ser/estar para eles. Deitar um filho ao mundo para serem outros a desfrutar deles, não obrigada. Acho até um egoísmo enorme da parte de quem comete esta aberração.

** Se teria uma conta bancária muito mais gorda que aquela que tenho, estando a trabalhar? Sim. A resposta é sim. Mas para que me servia esse dinheiro se depois os meus filhos seriam uns subordinados precoces desta sociedade e nenhum de nós seria feliz? Para quê tantos euros na conta se depois não os posso desfrutar felizmente. Para salvaguardar um futuro? A vida é um fósforo!!

Sim, esta é a ordem certa da minha vida. Eles.


Fontes:
Texto: Sandra Pereira
Fotos: GoogleImages

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Aparências

Aparências. Muitos vivem delas. E se assim não for, parece que não têm vida própria.
Sempre enfiados nas vidas alheias. É tanto blá blá blá… e depois na hora da verdade são uns miseráveis.

E o mesmo se passa com aqueles que apregoam tanta felicidade onde ela não existe. E casos destes são mais do que aqueles que pensamos. E mesmo ali ao nosso lado. Basta olhar com atenção.

Isto, porque vivemos |sempre foi assim, mas agora mais| na era do exibicionismo. Fulano tem X? Eu tenho XY. Pumba. Não posso? Não faz mal. Invento maneira de o conseguir. Passo vergonha com 3, mas faço vista boa perante 100!!! É este o reflexo geral da nossa presente sociedade. Uns miseráveis.

Mas já se sabe, que perigoso, é viver infeliz. Há que combater o perigo, então. Nem que seja com mentiras. Criando um abismo sem volta. Jamais acordarão. Jamais cairão em si e na dura realidade. E se sim, jamais a aceitarão. É como uma bola de neve que cresce, cresce e cresce. O que acontece quando chega o calor? O mesmo que estes ilusos que vivem delas, das aparências. Não há volta atrás. Ficam diminuídos à sua insignificância para sempre.

Aparências, é exatamente o tipo de dependência em que vive mais de metade da nossa sociedade. Tudo isso não tem mal, sempre e quando não prejudiquem a 3os (terceiros). Sim, porque da vida de cada um, cada um a sabe. E nós, os outros, nada a ver com isso.


“O facto do mar estar calmo na superfície , não significa que algo não esteja acontecendo nas profundezas”  - O Mundo de Sofia

Fontes:
Texto: Sandra Pereira
Foto: GoogleImages

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Liberdade na Amizade

Esta sou eu.
Amiga dos meus amigos. Disponível sempre e para os que assim o desejarem. Com uma palavra quando é tempo disso. E um abraço quando as palavras sobram ou simplesmente não se encaixam no contexto. Sou amiga de quem me quer bem. E até tentei ser amiga de quem menos me quiz bem...
Esta sou eu.

Contudo, porque quase sempre há um mas, eu gosto, amo, os meus amigos, mas não gosto desse lado de obrigação. Não gosto desse lado de estar porque sim, de ligar porque devo, de mandar mensagem porque fica bem, de sair porque se não o fizer alguém me vai olhar de lado....
Não. Não tenho porquê viver obrigada as minhas amizades. Para mim isso não existe. E isto é válido tanto para as amizades, como para a família, algum ou outro conhecido, relações profissionais...
Relações "obrigacionadas"?? Não obrigada.


Valoro e muito a espontaneidade. A simplicidade de uma relação.

Relações descomplicadas, sem horas nem porquês. Sem exigências. Tão bom. 

Há que cuidar a amizade sim. As amizades não são um "por favor". São carinho, abraços, discussões e pazes, gargalhadas e lágrimas. A amizade é terapia. A terapia dos dias cansados e apagados. E é também vida. Amizade é um bem precioso que se não for regada regularmente, vai secando até morrer.  Mas no dia-a-dia existem contextos para o fazer de forma espontânea. Basta com seguir o coração. E nada de exageros. Todo o exagero pode levar ao cansaço, fartanço e posteriormente à ruptura. E quando há uma ruptura é difícil voltar ao que foi antes. É coo aquela frase "...posso até perdoar, mas não esqueço!"

" A amizade nunca foi e nunca será uma questão de presença física. Porque amigo não precisa estar. Amigo precisa ser." Tudo dito.

Boas amizades desse lado.


Fontes:
Texto: Sandra Pereira
Foto: Google Images

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Feliz Dia da Criança


Assim é a vida...

Em menos de nada o cenário muda.
Novos horizonte surgem.
Novos ares, novos dias, novos ventos, novos interesses, novos amigos, novos amores...
Quero ficar contudo, com a certeza que este amor que vos dou sirva de vínculo forte e inquebrável por todo o sempre entre nós. Quero ficar com a certeza que sabereis sempre que estou aqui seja quando e em que circunstância for.
Quero ser sempre o vosso porto seguro, e o ponto de regresso.
A primeira escolha quando necessitem ( e não).
Quero ser sempre o vosso farol, e que esta luz nunca, nunca, nunca se apague.

Mas quero mais que tudo que sejam crianças sempre felizes.
Que a felicidade vos inunde de tal modo que nunca conheceis a tristeza.
Na criança feliz se vê um adulto forte, determinado, destemido, FELIZ.
Por agora sei que o são e com isso me basta.  
Continuemos a fazer o nosso caminho assim. Na base do amor. 

Fontes: 
Texto: Sandra Pereira
Fotos: Google Images


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...